Saúde em Niterói pede socorro

Saúde em Niterói pede socorro

Não é culpa de nenhuma guerra ou da pandemia. O caos na gestão da saúde em Niterói é crônico, muita grave e uma claríssima opção dos Prefeitos que passaram pela cidade, incluindo o atual.

O Ministério Público perdeu de vez a paciência após receber o documento de vistoria do seu órgão técnico (GATE). O almoxarifado e a central de abastecimento não têm alvará de funcionamento, licença sanitária e nem certidão de regularidade pelo Conselho Regional de Farmácia. Falta ar-condicionado, o ambiente é insalubre, os funcionários são cedidos dos Governos Estadual e Federal, não existe viatura suficiente, nada funciona. Mas a questão piora, e muito.

Foram encontradas solicitações de unidades de saúde que não foram tendidas pela completa falta de 145 medicamentos que são obrigatórios na rede. Estava completamente zerado o estoque de atadura, coberturas para curativos, gaze, máscaras, soro, micropore, lubrificante e agulha seringada.

Analisando o detalhado relatório do GATE, que visitou unidades básicas de saúde, policlínicas e hospitais, assim como nosso mandato, restou comprovado o descaso com a vida dos niteroienses que mais precisam. Mofo, goteira, falta de climatização, profissionais sofrendo, baixos salários, atrasos de pagamento, tudo acontece no nosso município.

E se você pensa que isso não importa para quem pertence hoje às classes A, B e C, vale a gente refletir quantas pessoas não precisavam do SUS, mas hoje dependem exclusivamente dele. Essa luta por dignidade é de todos nós, sem exceção, ainda mais numa cidade que recebe bilhões anuais de royalties e alardeia um show de gestão com propagandas pagas aos veículos de comunicação. Mostraremos sempre a verdade e lutaremos sempre por Niterói!

Sobre o Autor

Advogado, pós-graduado em Política Criminal e Segurança Pública, especialista em Políticas Socio ambientais e mestre em Auditoria e Gestão Ambiental.
Redes Sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.