Parque da Cidade ganha reforma para incentivar ecoturismo

Parque da Cidade ganha reforma para incentivar ecoturismo

Avaliado em R$ 1,5 milhão, projeto vai reestruturar e preservar seis trilhas do local com objetivo de incentivar o ecoturismo. Inauguração está prevista para o verão

O Parque da Cidade agora terá mais um motivo para atrair turistas e aventureiros. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade de Niterói criou um projeto de reestruturação das trilhas e preservação da região, que será inaugurado no próximo verão. A iniciativa visa incentivar o ecoturismo, atrair mais frequentadores ao local e oferecer uma alternativa gratuita de lazer aos moradores da cidade. Avaliado em aproximadamente R$ 1,5 milhão, o projeto deve receber investimento do fundo municipal da Prefeitura e do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Ocupando uma área de 150 mil metros quadrados, a reserva passou por intervenções de campo no início do ano, onde as trilhas mais utilizadas foram avaliadas. Por meio de um GPS os caminhos receberam demarcações e um geógrafo estudou as questões que envolviam a extensão, coordenada e altitude dos percursos. Durante algumas semanas, profissionais ligados à área ambiental observaram os problemas mais pertinentes da região como desbarrancamento, escoamento de água, buracos, degradação do solo e através dessa análise criaram o projeto com foco nas melhorias necessárias no território.

As Trilhas das Bicicletas, Santo Inácio, Pimentel, Rampa Sul, Bosque dos Eucaliptos e Encantado foram os seis caminhos escolhidos para receberem melhorias. As obras de estruturação consistem na implantação de escadas, rampas, corrimãos e placas sinalizadoras. Além disso, o local também ganhará um novo deck, reforma na rampa de voo e a construção de uma torre para observação de pássaros, mirante de observação de paisagens e prevenção de incêndio. De acordo com o Secretário municipal de Meio Ambiente, Daniel Marques, a cidade está carente de políticas ambientais que promovam a interação de pessoas com a natureza, por isso é importante incentivar a cultura e o lazer através de programas educativos.

“Esse projeto oferece aos cidadãos uma oportunidade gratuita de contemplar paisagens naturais e promove a relação de pessoas com diferentes idades e classes sociais em um mesmo ambiente. Dessa forma o morador não precisa se deslocar até o Rio de Janeiro para fazer passeios ao ar livre, porque o município passa a ser uma região onde os habitantes podem ir à praia, fazer trilhas radicais com segurança e apreciar o pôr do sol”, argumentou o Secretário.

Para assegurar a sustentabilidade dos recursos naturais, a ação também criou uma estratégia para que a vegetação existente receba reforço em sua estrutura e os pontos degradados ganhem enriquecimento ambiental. Ao todo, serão plantadas 10 mil mudas de espécie nativa da Mata Atlântica e devido a presença de espécies exóticas, como Eucalipto e Jaqueira, serão manejados 300 desses indivíduos. Essa iniciativa tem a finalidade de restituir o habitat natural de aves e mamíferos pertencentes ao parque.

“Fizemos um estudo para identificar quais locais necessitavam de investimentos de restauração florestal. Em alguns pontos notamos que o solo estava degradado, com a presença de clareiras, poucos indivíduos arbóreos, muito capim e solo exposto, provavelmente devido aos incêndios ocasionados pelos balões. Assim, entendemos a necessidade do plantio de espécies e construção de aceiros que sirvam como barreira física para dificultar a propagação do fogo, como também o plantio de outras espécies para promover o enriquecimento ecológico do local.

A segurança é outra questão que faz parte do projeto. Para garantir o conforto e a proteção dos frequentadores do parque, as trilhas irão receber câmeras de segurança, centro de observação, aparelhos de comunicação e kits de segurança para os guardas ambientais. A grande novidade é a instalação de um sensor eletrônico para contagem de visitantes. O aparelho deve calcular o número de pessoas que frequentam o local e, por meio dessa conta, os órgãos de segurança da cidade irão saber exatamente quantos agentes precisam fazer patrulha na reserva diariamente. Segundo o representante do Clube de Montanhismo de Niterói, Leandro do Carmo, o reforço na segurança irá atrair mais visitantes.

“Um dos maiores problemas da região é a falta de policiamento, porque embora existam guardas no local, alguns frequentadores não se sentem seguros em descer as trilhas na parte da tarde. Acho que essa iniciativa vai permitir que os aventureiros pratiquem as caminhadas em qualquer horário do dia sem medo”, contou.

Fonte: Jornal O Fluminense (13/07/2014)

Conheça o mapa das trilhas e o projeto detalhado  clicando aqui

Sobre o Autor

Advogado, pós-graduado em Política Criminal e Segurança Pública, especialista em Políticas Socio ambientais e mestre em Auditoria e Gestão Ambiental.
Redes Sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.