Ausência da Prefeitura de Niterói quase termina em tragédia

Ausência da Prefeitura de Niterói quase termina em tragédia

Foto: Vítor Soares

Fonte: https://enfoco.com.br/ausencia-de-apoio-da-prefeitura-de-niteroi-quase-termina-em-tragedia-em-piratininga/?fbclid=IwAR2cqkcoe6jdtFSfumHSAAEWbuSZRN_ojN7e2IA05eziCbQhkUUXtxpe18s

A ausência do Centro de Controle de Zoonoses de Niterói quase resultou em tragédia, na tarde desta terça-feira (26), na Região Oceânica de Niterói. Isso porque após denúncias ao departamento — sem respostas — uma moradora de Piratininga acabou entrando na propriedade privada para alimentar animais que, segundo vizinhos próximos, estariam abandonados. Acontece que a jovem acabou atacada por um dos animais.

Luana Macedo, de 20 anos, foi mordida por um cão da raça Pitbull ao entrar na casa para tentar alimentar os animais. O caso aconteceu na Rua Orestes Barbosa.

“Nós cansamos de ver os bichos sofrendo e queríamos ajudar. Eu botei água e comida, percebi que ele era manso. Foi quando eles começaram a brigar pela comida e por reflexo eu botei o braço, foi quando ele me mordeu”

A jovem recebeu os primeiros socorros do vizinho João Luiz de Noronha Luz.

“Ele estava com os dentes agarrados no braço dela. Então eu corri, peguei no pescoço dele para tirar. Mas deu pra ver que ele não é agressivo e de fato estavam brigaram por comida”

O proprietário do imóvel, que preferiu ser identificado apenas como Alessandro, negou que os cães estavam sem comida.

“Ela entrou no meu domicílio e o cachorro mordeu. Não vou falar mais nada”

Moradores relatam que os cães latem muito durante a noite. A socióloga Beatriz Nogueira afirma que mora no local há quatro anos e já chegou a colocar comida para os cães.

“O dono do imóvel tenta fechar um buraco no muro com restos de madeira, mas os cães acabam fugindo. Então eu coloco comida para eles no meu portão”

Negligência

A Polícia Militar foi acionada e uma viatura do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) foi ao local. A mãe da jovem e dono do imóvel foram encaminhados para a Delegacia de Itaipu ( 81ª DP).

A vítima foi atendida no local por uma viatura do Serviço de Atendimento móvel ( SAMU) e liberada em seguida.

Segundo a pensionista Mônica Macedo, mãe da vítima, já foi feito contato, no último dia 18, com o Centro de Controle de Zoonoses para relatar que os animais estavam sofrendo maus tratos.

“Eles vivem em condições insalubres. Fizemos contato e nos informaram apenas que não poderiam fazer o resgate porque não havia local para colocar os cães”

Para o vereador Daniel Marques (DEM), vice-presidente da comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade, o Executivo reconhece o problema e que uma lei municipal de 2015 garante que o órgão retire animais e locais não adequados.

“Tenho uma ação popular da casa do Ingá. A prefeitura diz que não tem pra onde levar. São 70 animais e vários vídeos de cachorro comendo gatos ou os próprios cachorros. A prefeitura foi lá e ela reconhece que o local não é adequado, mas diz que não pode fazer nada, que não tem pra onde levar. A Lei 31.053/2015 garante que a prefeitura tem a obrigação de retirar os animais em abandono animal dentro de residências. Tudo isso está nessa lei, só que a gente tenta fazer acontecer e não consegue”, lamentou Marques.

Em nota, a Fundação Municipal de Saúde de Niterói informou que “uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) irá ao local para avaliar as condições em que estão os animais”.

Sobre o Autor

Advogado, pós-graduado em Política Criminal e Segurança Pública, especialista em Políticas Socio ambientais e mestre em Auditoria e Gestão Ambiental.
Redes Sociais:

Comentário fechado.