Ações da atual gestão municipal do meio ambiente

Ações da atual gestão municipal do meio ambiente

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Niterói é o sétimo maior do país e o primeiro do Estado do Rio. Para alavancar ainda mais a qualidade de vida no município, a nova Administração investe em boas práticas de gestão pública para consolidar um processo de desenvolvimento responsável e que ao mesmo tempo transforme Niterói em uma cidade moderna e sustentável para a sua população.

Dentro desta premissa, o cuidado com o meio ambiente é prioridade. Uma das primeiras medidas do atual governo na área ambiental foi iniciar o processo de revitalização e reestruturação de um dos principais cartões-postais da cidade, o Parque da Cidade, cuja gestão passou para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. O Parque da Cidade passou por reestruturação de funcionários, curso de capacitação da Guarda Ambiental, além de doação de instrumentos para facilitar o monitoramento e segurança da área, licitação da cantina e auditoria das antenas para licitação do espaço. Também foram implementadas melhorias para dar estrutura aos praticantes de voo livre e downhill. Nas últimas semanas foram realizadas vistorias em seis importantes trilhas no Parque, para investimento futuro em sinalização, segurança e diversas outras intervenções, como torre de observação, mirante e pomar, no intuito de incentivar o turismo sustentável.

Outra conquista foi a realização do primeiro concurso público para a pasta ambiental em Niterói, para analistas e fiscais de meio ambiente. A Secretaria Municipal implantou o projeto de reestruturação das restingas, que está em desenvolvimento em seis praias de Niterói: Camboinhas, Piratininga, Itacoatiara, Itaipu, Icaraí e São Francisco. Em breve chegará às praias de Charitas e Jurujuba.

Com relação à proteção animal, além do Horto do Fonseca, que vai sediar um centro de proteção de animais domésticos, a gestão lançou o projeto de Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), que vai funcionar em Pendotiba e será o segundo do Estado do Rio. O Cetas será um espaço para a recuperação de animais, fazendo com que possam ser destinados a programas de soltura em habitat adequado. O centro tem capacidade para receber até 7.140 animais silvestres resgatados por ano, entre aves, mamíferos e répteis.

Mais algumas iniciativas da agenda ambiental de Niterói são os projetos: despoluição da Enseada de Jurujuba, Poluição Sonora Zero e o programa Niterói Mais Verde, que vai assegurar a proteção de áreas verdes em 1.580 hc, com o objetivo de evitar a ocupação em áreas de risco, criar espaços públicos seguros para recreação e lazer, além de proteger a biodiversidade e a paisagem da cidade. Através dos Parques Municipais de Niterói (PARNit), serão gerenciadas as Unidades de Conservação já existentes no município, assim como criar e gerenciar novas unidades de uso sustentável e de proteção integral.

Sobre o Autor

Advogado, pós-graduado em Política Criminal e Segurança Pública, especialista em Políticas Socio ambientais e mestre em Auditoria e Gestão Ambiental.
Redes Sociais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.